Tale As Old As Time...


“Take it with you so you’ll always have a way to look back … and remember me.” – Beast

Há uns bons anos que um filme não mexia desta maneira comigo, talvez desde que saiu o remake do Titanic...Apesar de ser suspeita, a minha infância resumiu-se a assistir os filmes da Disney, passava dias à frente da televisão com as cassetes ao lado, via uma, de seguida punha outra, e quando o monte acabasse voltava a ver tudo de novo, ao ponto da fita da cassete ficar gasta. Sempre fui fascinada pela Disney, e por toda a magia envolvente nos filmes, as mensagens, as músicas, não há um único filme que não tenha visto. Cada vez acredito mais, que foi algo que contribui-o bastante para a minha personalidade hoje em dia.
Vamos ser sinceras, meninas, quem nunca sonhou ser uma princesa, vestir um grande e belo vestido encontrar o príncipe encantado e se feliz para sempre?!! 


A primeira vez que vi a Bela e o Monstro tinha 3 anos, depois disso várias foram as repetições, portanto conheço bem o filme, as músicas, as personagens e os cenários, esperava apanhar uma grande desilusão como foi com o remake da Cinderella, mas muito pelo contrário!!!
Mal o filme começou, a criança de 3 anos, as memórias das tardes passadas com a minha avó e uma grande nostalgia veio ao de cima. Para além de com a idade vermos os filmes de uma perspectiva totalmente diferente, foi impossível conter as lágrimas, passei o filme a chorar do início ao fim literalmente!!

 A história está fiel à original, não consigo apontar um único defeito ao filme, o elenco, a fotografia, as músicas, os cenários. 


 Além de uma grande nostalgia, o filme transmite-nos mensagens importantes para a nossa vida:

O verdadeiro sentido da vida reside em amar e ser amado. Do que nos vale a beleza, o dinheiro, as festas se no final somos pessoas vazias?! Não nos entregamos e somos egoístas com outros, se isto acontecer vamos acabar sozinhos.

Não há mal em ser diferente. Vejamos a Bela, culta, viciada em livros, determinada, destemida e forte, sempre foi considerada estranha, no entanto isso é que a faz distinguir das outras raparigas da aldeia

O exterior de nada vale se o carácter for zero. A primeira mensagem que nos vêm à cabeça quando pensamos na Bela e no Monstro, vejamos pelo Gaston e pelo Monstro, do que vale um homem atraente, desejado por todas as mulheres, quando não respeita as mulheres, é abusivo e mulherengo?! Em contrapartida, vejamos o Monstro, que se preocupa com ela, trata-a bem, é carinhoso.

As ações valem mais que as palavras. Um pequeno clichê é verdade, apesar do péssimo começo, o Monstro consegui-o voltar atrás com as várias atitudes que teve, desde a salvar dos lobos, a biblioteca, o jantar..




CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário