Moda Lisboa Together #2



Olá a todos!!! Hoje venho compartilhar com vocês a minha experiência no último dia da Moda Lisboa, no passado Domingo. Fui a convite do Ricardo Andrez e do meu designer favorito o Luís Carvalho. Para além de ter ido assistir aos desfiles, tive o privilégio de estar presente numa Cocktail Party do Filipe Faísca.

Podem ver o outfit escolhido no meu post anterior (Aqui).


 Filipe Faísca Cocktail Party

A Cocktail Party decorreu logo após do desfile 17:30 e terminou por volta das 20h na Sala do Arquivo nos Paços do Concelho. Quem esteve presente na festa, teve a oportunidade de estar em contacto com as peças para a próxima estação em primeira mão. 

Eu pessoalmente perdi-me de amores pela coleção, foi com muita pena minha que não consegui estar presente no desfile. Retrospectiva foi o tema e inspiração para esta coleção, que aborda o passado, presente e futuro.

«Aqui chegados, o que ficou? O que se segue? Qual o caminho? O que importa: o mundo, eu, o outro? Que valores subsistem? Refugiamo-nos de quem? Que guerra é a nossa? Que crise vivemos? Que moda é esta? Retro? Tudo depende da perspectiva em que se olha.» Estas perguntas foram o ponto de partida para criação da coleção, assente na ideia de que "A maquina do tempo não para, sendo nós a soma do que vivemos e aprendemos".


Esta coleção faz-me lembrar imenso os heterónimos de Fernando Pessoa: Álvaro de Campos e Alberto Caeiro e o próprio ortônimo de Pessoa.


Álvaro de Campos: dada a presença prints de máquinas (neste caso relógios) nos vestidos, lembrando a 2ªfase do poeta: Futurista/Sensacionista, onde este celebra o triunfo da máquina, e da civilização moderna, no entanto também me faz lembrar da 3ªfase: Intimista/Pessimista, dadas as interrogações do próprio Filipe Faísca, onde podemos observar tédio, cansaço, uma certa angústia existêncial.


Alberto Caeiro: Dada a presença de cestas e chapéus de empreita de palma algarvia, prints de flores, a presença da cor castanha e amarela,tecidos leves, que me lembram imenso o campo, a natureza e a simplicidade. Caeiro era o poeta da Natureza, nos seus poemas podemos observar um predomínio das sensações visuais.



Fernando Pessoa: Dadas as interrogações de Filipe Faísca, onde podemos observar nostalgia, desencanto dada a brevidade da vida, angústia, cansaço e tédio. Fizeram-me lembrar os poemas relativamente à Nostalgia Da Infância.


Vamos passar às fotos da Cocktail Party!!!








Ricardo Andrez

Os incógnitos de Ricardo Andrez, como muita gente intitulou esta coleção. O estilista resolveu vestir os modelos com bodys integrais, cobrindo totalmente o corpo e rosto , apagando-lhes assim a identidade, tornando-os em verdadeiros manequins, não sendo quase possível distinguir o gênero.

Vou ser-vos muito sincera, este desfile surpreendeu-me pela irreverência do criador, no entanto ao assistir ao desfile foi complicado manter a atenção nas peças, fez me alguma impressão ver uma pessoa coberta de cima a baixo. 

Estas foram as minhas propostas favoritas:





Luís Carvalho

My favorite, my favorite...

Foi a segunda vez que vi um desfile de Luís Carvalho, a primeira foi em Outubro de 2013 a coleção SS14, lembro-me de ter ficado fascinada e a partir dai fui acompanhando sempre o seu trabalho. Portanto as minhas expectativas estavam bem altas e adivinhem...Consegui-o supera-las!!!

Passada uma semana continuo sem palavras, o que o designer nos apresentou foi sem sombra de dúvidas brilhante ao ponto de me emocionar. Foi uma honra poder presenciar um momento tão único como este desfile. Sabem quando vocês se encontram em algo? Foi o que aconteceu. Neste momento dava tudo para ter a coleção toda cá em casa. Só posso estar grata ao Luís pelo convite e por me ter feito gostar ainda mais de moda.


O Pop/Rock dos aos 70 invadiu a passerelle,transformando-a numa discoteca, o desfile ocorreu ao som da reinterpretação por parte do Alex D´Alva Teixeira do êxito Heart of  Glass dos BlondieHeart of Glass foi o nome da coleção, o estilo de Debbie Harry foi a grande inspiração para esta coleção, as silhuetas contrastam entre o crop/longo e o skinny/XL e em termos de materiais entre o fluído/texturado.

São vários os detalhes como riscas, aplicações metálicas que surgem em evidência ou em pequenos pormenores.

A paleta de cores tem como referência, as obras da artista plástica dos anos 70, Gretchen Albrecht. Estas variam entre o coral, vermelho, azul, cor de rosa. No entanto temos também presente cores como o branco, preto

Deixo-vos aqui as minhas propostas favoritas (acreditem foi muito complicado não colocar aqui a coleção toda).














CONVERSATION

4 comentários:

  1. Um espanto minha neta!
    Como sabes não sou fã de moda. Mas achei "altamente" o facto de teres associado e acompanhado o teu trabalho com elementos culturais como são os de Fernando Pessoa. Excelente !!!! Adorei a ideia e acho que deves continuar a juntar a Cultura / Moda. Parabéns. <3

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Linda !!! Para quando o nosso café ?!

    ResponderEliminar
  3. Daniela muito gostei muito . Obrigada pela partilha

    ResponderEliminar